Mesa de negociação com a Prefeitura de Itajaí não tem avanços sobre Reposição Salarial

Dirigentes do Sindifoz e representantes dos servidores públicos municipais estiveram reunidos na tarde desta quinta-feira com membros da Prefeitura de Itajaí para tratar sobre a Revisão Geral Anual da categoria e da pauta de reivindicações dos servidores. O prefeito municipal, Volnei Morastoni (MDB), não se fez presente no encontro. O governo municipal reafirmou a sua posição de não conceder a Reposição Salarial aos servidores em virtude da Lei Complementar 173/2020, seguindo orientação do Tribunal de Contas do Estado (TCE), mesmo que outros municípios catarinenses estejam concedendo a revisão aos seus servidores.

Questionada sobre firmar um compromisso para a concessão da reposição em janeiro de 2022, quando a LC 173/2020 perde a validade, a equipe do governo informou que este acordo é inviável no momento e que aguarda um novo julgamento do TCE sobre o tema, previsto para a próxima segunda-feira.

Após o debate sobre a Reposição Salarial, o Sindifoz tratou dos demais itens da pauta de reivindicações da categoria, que vem sendo apresentada pelo Sindicato desde 2019 e que em 2020 teve as negociações paralisadas em função da pandemia. Foram retomados diversos itens da pauta, além da inclusão de situações pontuais, como o pagamento incorreto de horas extras para os servidores da Saúde que estão atuando, em especial, nas campanhas de vacinação.

A luta pela reposição salarial ainda não terminou! O Sindifoz continua na batalha para que o entendimento do TCE se modifique e seja possível, sim, a reposição da inflação. Na próxima semana, com outro julgamento do TCE, o posicionamento pode ser alterado. A mobilização no dia 9 dos servidores de Itajaí, demonstrou que estão dispostos a enfrentar essa luta!