Sindifoz aguarda resposta da Prefeitura de Ilhota e questiona projeto enviado para a Câmara

O Sindicato dos Servidores Públicos Municipais da Região da Foz do Rio Itajaí (Sindifoz) ainda aguarda uma resposta oficial da Prefeitura de Ilhota acerca do estado de greve dos servidores públicos municipais, decretado em assembleia geral na última quarta-feira, dia 24. A reivindicação da categoria diz respeito ao cumprimento da Lei 40/2013, que obriga o município a conceder um reajuste anual aos trabalhadores em julho, o que não ocorreu neste ano.

Uma nova assembleia geral da categoria já está marcada para o dia 8 de novembro, quando a categoria irá deliberar sobre a possibilidade de greve em Ilhota. O Sindicato ainda questiona o projeto de lei enviado pelo município a Câmara de Vereadores dias após a assembleia dos servidores, que trata do reajuste pedido pela categoria. De acordo com o Sindifoz, a proposta do município não contempla o vale-alimentação, descumprindo a Lei Complementar 38/2013.

Além disso, o Sindifoz ainda recebeu denúncias de servidores que estão sendo coagidos em seu local de trabalho por terem participado da assembleia geral e se manifestado a favor do estado de greve. De acordo com o presidente do Sindicato, Francisco Johannsen, essa prática é ilegal e qualquer indício de perseguição política deve ser denunciado ao Sindifoz para que as devidas providências sejam tomadas.

Posted in News.

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *