Servidores acumulam perdas salarias e congelamento de direitos

Diante dos crescentes ataques ao funcionalismo público, a campanha salarial 2021 do Sindifoz é urgente e, mais do que nunca, necessária. A Lei Complementar 173/2020, além de proibir o AUMENTO de salários dos servidores até 2021, suspendeu, pelo mesmo período, a contagem de tempo de exercício na carreira pública para fins de pagamento de adicionais por tempo de serviço, como triênios e quinquênios e licenças-prêmio.

Os servidores não aguentam mais serem desrespeitados pelo governo federal. Como se não bastassem quase dois anos sem reposição salarial, neste último ano, também não irão receber o adicional por tempo de serviço, ou seja, a concessão do triênio. As perdas são gigantescas. De defasagem, totalizam 11, 89% (8,89% de reajuste salarial e 3% por conta do aumento da alíquota da previdência que passou de 11% para 14%).

Neste momento em que muitas famílias estão desassistidas e vulneráveis por conta da crise gerada pela pandemia, o Sindifoz manifesta sua posição de que tem lado e este lado é o do servidor público. Decidido a lutar pela garantia dos direitos da categoria, o sindicato não ficará de braços cruzados. Os servidores públicos merecem respeito!

Posted in News.

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *